Parceiros do blog - Clique e ajude a manter o blog no ar

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Da horta para o buffet

Luiza Frank tem conceitos na permacultura para desenvolver seu trabalho

“Sou cozinheira e da roça”. É assim que Luiza Maria Bottezini Frank começa a contar sua história com o trabalho na horta e seus quitutes. Natural de Frederico Westphalen, a jovem de 28 anos tem formação em técnico em cozinha pelo Instituto Federal de Santa Catarina e especialização em enologia pelo mesmo Instituto, sem mencionar cursos na área de alimentos naturais saudáveis e integrais e orgânicos.

Luiza conta que já trabalhou em diversos lugares do país. “Trabalhei em restaurantes de 8 estados e 3 países da américa da latina, assim, passei a conhecer a cultura local e a gastronomia regional de cada lugar e eu nem sabia que se iniciava uma jornada de mudanças na minha vida”, conta a cozinheira. Foi em 2011 que Luiza teve a oportunidade de conhecer e trabalhar com a terra, através do amigo Fabio Ferraz, engenheiro agrônomo, que a fez dar importância de se ter alimentos saudáveis na mesa.

A cozinheira dedicou os últimos seis anos à área da gastronomia e há 3 anos cria receitas provenientes de alimentos diretos da roça. “Com minha alma aventureira, a paixão pela gastronomia cresceu durante minhas experiências pelo Brasil afora e, por meio disso, me conectei com a cozinha responsável e regional, com ingredientes orgânicos e sazonais”, contou.

A ideia de transformar a matéria-prima em produção veio quando Luiza começou a sentir a falta de alimentos saudáveis na própria mesa e assim passou a criar receitas com hortaliças, legumes e temperos que cultivava com a tia. Alface, rúcula, manjericão, alho, couve-flor, mandioca, batata-doce, sálvia e diversos temperos são tirados diretamente da horta da família e transformados em quitutes gourmetizados para recepções e eventos em geral. “O trabalho é diário, cuido da horta pela parte da manhã, antes do sol nascer, e depois de o sol se pôr. O manejo com a terra é uma terapia assim como o meu minhocário, que me ajuda a transformar restos de comida em adubo para o plantio das hortaliças e leguminosos que depois são utilizados por mim para os quitutes”, contou Luiza.
A cozinheira tem 30 receitas criadas e reinventadas, inspiradas em renomados chefs de cozinha como Jame Oliver, Marcelo Amaral e até mesmo a famosa a blogueira de culinária Bela Gil. Seguindo o exemplo de Bela Gil, Luiza aprendeu a substituir o açúcar branco pelo mascavo ou açúcar demerara, o sal branco pelo sal mais puro do mundo, o himalaia, além de deixar de fora os produtos provenientes do leite.
Luiza conta que desde que retornou para a região, em Taquaruçu, no ano passado, o trabalho com a horta a estimulou a seguir um caminho e que hoje não se imagina fazendo outra coisa. “Sou cozinheira e da roça, não abro mão de um olhar amoroso para os alimentos. Tenho orgulho de ser cozinheira, não é fácil, mas a arte das panelas é incrível”. Um ótimo insight, pois uma boa iniciativa e prazer no trabalho é igual à qualidade de vida.
Fonte: FN
Saiba mais sobre Ecologia e Meio Mambiente Visite O AMBIENTALISTA

Nenhum comentário:

Postar um comentário