Parceiros do blog - Clique e ajude a manter o blog no ar

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

O rádio e seu papel em tempos de desastre e emergência

No Dia Mundial do Rádio, a ONU nos convida a refletir sobre a ação e importância do rádio em casos emergenciais e de grandes desastres ambientais. O rádio teve papel fundamental ao alertar a população sobre a intensa nevasca que atingiu mais de 75 milhões de pessoas nos Estados Unidos; assim como, na África, onde virou o principal meio de comunicação sobre o Ebola. E, não é de hoje que conhecemos a importância do rádio na garantia do direito à informação e, em épocas que, quem toma conta dos noticiários são as grandes tragédias, principalmente as ambientais, causadas pelas fortes chuvas, inverno intenso, seca, ou mesmo pelo desrespeito do homem ao meio ambiente, a Organização das Nações Unidas – ONU convida o mundo a refletir sobre "O rádio em tempos de desastre e emergência". Esse é o tema escolhido pela ONU para o do Dia Mundial do Rádio, celebrado no dia 13 de fevereiro. Como fonte de informação ou de ajuda, o rádio é o meio de informação, senão o mais próximo, o mais ágil, em momentos emergenciais. A diretora geral da Unesco, Irina Bokova, destacou o rádio como “o primeiro meio de sobrevivência” em casos de emergência e, tem uma vantagem: “muitas vezes, é o que resiste melhor e mais rápido do que outros meios”, além de “transmitir mensagens de proteção e prevenção para um grande público”. O Dia Mundial da Rádio deste ano tem o papel de reunir iniciativas positivas de rádios públicas, privadas e comunitárias em torno das situações de emergências e desastres e convida o mundo a discutir e apresentar suas ideias, apresentando a mensagem de que o rádio salva vidas. Para refletir sobre a data, a ONU destaca 5 subtemas, que fazem referência aos profissionais que trabalham no meio, às pessoas atingidas pelo desastre e à própria proteção do rádio nesses casos. São eles: 1. A liberdade de expressão e a segurança dos jornalistas deve ser à prova de desastres; 2. Rádio capacita sobreviventes e populações vulneráveis, tendo em conta o seu direito à privacidade; 3. O rádio tem um impacto social e proporciona acesso à informação. Você deve proteger o direito das pessoas à informação; 4. O rádio salva-vidas e 5. A disponibilidade imediata das radiofrequências é essencial para salvar vidas. Estas frequências devem ser protegidas em caso de emergência. Saiba mais CLIQUE AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário