Parceiros do blog - Clique e ajude a manter o blog no ar

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

MAPA coloca em consulta pública legislação para pequenas agroindústrias de leite e derivados

O Brasil tem queijos especiais que pouca gente conhece.

A cada ano, desaparecem no mundo centenas de tipos de queijos, de famílias produtoras com seus saberes, bem como  equipamentos, raças de animais, capins nativos, ligados à tradição artesanal de produção e transformação do leite.  Com esta preocupação, o movimento Slow Food Internacional lançou, em 2001, o Manifesto e a Campanha Internacional em Defesa dos Queijos de Leite Cru, alertando para o risco de extinção destes queijos frente a regulamentos internacionais discriminatórios, hipersanitaristas e homogeneizadores, que ameaçam destruir o meio de vida dos produtores artesanais. O que está em jogo não é apenas a salvaguarda de produtos e alimentos saborosos e únicos, mas a manutenção de uma cultura alimentar rica e biodiversa e  a defesa da nossa liberdade de escolher o que queremos comer.
Em 2011, o Brasil se insere na campanha internacional com a criação do Grupo de Trabalho Slow Food Queijos Artesanais que visa a promoção do conhecimento, valorização e consumo dos queijos artesanais de leite cru brasileiros.
Convidamos você a conhecer este trabalho e contribuir para esta campanha, unindo-se a nós – consumidores, produtores, pesquisadores, chefs, cozinheiros, todos amantes dos bons queijos - para resistir à  padronização do alimento e  defender os pequenos produtores e a sócio-biodiversidade.

Ministério da Agricultura (MAPA) colocou em consulta pública legislação para pequenas agroindústrias de leite e derivados com mais dificuldades impostas para os agricultores familiares. para conhecer o texto na integra acesse o link;

Entende-se por estabelecimento agroindustrial de pequeno porte de produtos de origem animal o estabelecimento de agricultores familiares ou de produtor rural, de forma individual ou coletiva, com área útil construída de até 250m2 (duzentos e cinquenta metros quadrados), dispondo de instalações para:
 I - abate ou industrialização de animais produtores de carnes;
II - processamento de pescado ou seus derivados;III - processamento de leite ou seus derivados;IV - processamento de ovos ou seus derivados; eV - processamento de produtos das abelhas ou seus derivados;Art. 2º As normas específicas relativas à defesa agropecuária servirão de referência para todos os serviços de inspeção e fiscalização sanitária;No estado do RS, com a criação houveram alguns avanços neste sentido, mas o grande entrave ainda esta, com os serviços Municipais de Inspeção, necessário para que possam se equivalerem as legislação do SUSAF/RS E SISBI/POA.Este processo de consulta deve ser tomado por todos os atores envolvidos no processo, principalmente em nossa região, avançar gerando renda e incluindo produtores no sistema.

Nenhum comentário:

Postar um comentário