Parceiros do blog - Clique e ajude a manter o blog no ar

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Reforma da Previdência pode ser o fim da aposentadoria rural, afirmam agricultores

Da Brasil de Fato

Já tramita na Câmara Federal sob o título de PEC 287 a Proposta de Emenda à Constituição que visa alterar as regras de aposentadoria no Brasil. Assinada por Michel Temer e pelo ministro da Fazenda Henrique Meirelles, a Reforma da Previdência é vista como uma ameaça à aposentadoria da população do campo. Segundo lideranças e agricultoras entrevistadas, as novas regras inviabilizam que a população rural acesse o direito à aposentadoria.

Pelas as novas regras que podem ser estabelecidas pela PEC 287, o trabalhador rural só poderá se aposentar com idade mínima de 60 anos (para homens) e 55 anos (mulheres), um aumento de 10 anos de trabalho em comparação com as regras atuais. E mesmo com 60 e 55 anos, esses camponeses só conseguirão aposentadoria se contribuírem mensalmente com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) por 25 anos. Mas caso queiram recebem a aposentadoria no valor integral, terão que contribuir por 49 anos.

O ponto da contribuição mensal é um dos maiores incômodos do presidente da Federação dos Trabalhadores em Agricultura do Estado de Pernambuco (FETAPE), Doriel de Barros. “Não pode ser assim. O trabalhador urbano tem salário, mas a renda do trabalhador rural depende da produção. Olhe para o Nordeste, que enfrenta uma seca há seis anos. Como é que pagaremos ao INSS todo mês?”, pergunta Barros. “Além disso é uma proposta mentirosa, que se ancora num suposto déficit da previdência que na prática não existe. Eles querem fazer ‘terrorismo’, afirmando que aposentados ficarão sem receber”, completa. Segundo a Associação Nacional de Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil (Anfip), a Previdência Social é superavitária, ao contrário do que diz o Governo Federal, que propôs a Reforma da Previdência para solucionar um suposto “rombo”.

Agricultor familiar da comunidade rural de Poço Dantas, na cidade de Tabira, Sertão de Pernambuco, o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) em Pernambuco, Carlos Veras, acredita que a nova regra que obriga a contribuição mensal vai tirar o direito à aposentadoria rural. “Os recursos que essas famílias têm são para seu sustento. Essa reforma vai acabar com o direito à aposentadoria. Nós vamos trabalhar a vida toda e morrer sem se aposentar”, se queixa Veras. O sindicalista, que vê a Previdência Social como “a principal fonte de distribuição de renda do País”, se refere ainda à seca para exemplificar a dificuldade do agricultor da região Nordeste. “Muitas famílias estão quase sem renda, dependendo de benefícios e dos programas sociais. Como é que essas famílias vão pagar mensalmente a Previdência Social? Nessa seca, qual a renda mensal de um trabalhador rural?!”, provoca.

O dirigente Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) Jaime Amorim avalia que a Reforma da Previdência é “o pior golpe dentro desse golpe”. “Como é que camponeses que plantam para a subsistência pagarão taxas mensais?”, questiona Amorim. “Teremos que pagar desde jovens, mas jovens não produzem excedente financeiro para pagar o INSS. Qualquer taxa mínima é inviável. A reforma é inviável para a economia e para a sobrevivência das pessoas”, reclama.

O advogado trabalhista André Barreto explica que pelas regras atuais, o trabalhador rural pode acessar a aposentadoria por duas vias: a comum para os trabalhadores empregados rurais, que têm recolhimento mensal de impostos para o INSS; e a ‘aposentadoria especial’, em geral para pequenos agricultores e comunidades tradicionais. “A aposentadoria especial não necessita pagamento mensal da Previdência, não precisa pagar ao INSS mensalmente, bastando ao trabalhador comprovar documentalmente que ao longo de 15 anos ou mais ele era trabalhador rural, que estava produzindo, comercializando”, diz Barreto. “Mas com a reforma da previdência a modalidade especial fica extinta. A aposentadoria fica por idade e tempo de contribuição, inclusive para o agricultor familiar”.

A agricultora aposentada Alaíde Martins, 55, da cidade de Triunfo, Sertão pernambucano, conquistou a aposentadoria após provar que exerceu o trabalho durante décadas. “Eu precisei apresentar o ITR (Imposto Territorial Rural), mais de 200 cópias de documentos, mostrei que minha família recebeu o Seguro Safra durante tantos anos, comprovante de quitação eleitoral para mostrar que eu estava mesmo morando na cidade durante esses tempo e ainda os comprovantes de que recebi as sementes do IPA (Instituto Agroeconômico de Pernambuco)”, recorda.

A aposentada alega que o pagamento mensal de INSS é financeiramente inviável para as famílias camponesas. “A maioria dos agricultores não tem outra renda além da agricultura. Como é que ele vai fazer para pagar ao INSS durante 25 anos? Eu pagava só R$ 13 ao Sindicato e ainda pesava no meu orçamento. Imagine pagar o INSS, que deve ser mais de R$ 30?! O agricultor não tem condições de pagar isso”, se queixa. “A pessoa fica a vida inteira trabalhando, suando para se aposentar. Mas com a mudança, com essa história de pagar o INSS todo mês, a pessoa não vai mais conseguir se aposentar. Daqui para quando a pessoa consiga pagar 25 anos de INSS, ela já não vai mais estar viva”, avalia Martins. Em sua opinião, caso a Reforma da Previdência seja aprovada, “daqui uns anos os agricultores idosos estarão morrendo de fome, porque não terão condições de trabalhar e nem estarão aposentados”.

Ana Paula Ferreira, 30, do município de Afogados da Ingazeira, Sertão pernambucano, afirma que a proposta do Governo Temer vai ter grande impacto negativo. “Vai abalar bastante quem é da agricultura familiar. Estamos numa seca de seis anos no Nordeste e não estamos tendo renda. Com certeza as famílias não conseguirão pagar o INSS. E não vamos conseguir nos aposentar”, lamenta. O presidente da FETAPE acredita que o Governo Federal está punindo quem não tem culpa pela crise. “É um absurdo colocar trabalhadores rurais para pagar a conta da crise, para cobrir os juros da dívida pública, impondo a milhões de trabalhadores uma condição de nunca se aposentar”. Cerca de 36% da população brasileira é rural, segundo levantamento do Ministério do Desenvolvimento Agrário em 2015.

Pelas regras propostas na PEC 287, os homens trabalhadores rurais que hoje têm 50 anos e as mulheres camponesas com 45, idade de se aposentar pelas regras de hoje, também sentirão o impacto, mas dentro de uma “transição”. Para se aposentar recebendo o valor para o qual se programavam, terão de pagar um “pedágio” de 50% sobre o tempo que faltaria para se aposentar pela nova regra (ou seja, terão que pagar 50% do valor que pagariam até completar 60 e 55 anos.

O advogado André Barreto avalia que as medidas têm o objetivo de impedir que as pessoas consigam se aposentar. “Essas famílias de agricultores obtêm recurso por safra, não têm condições de pagar esses valores mensalmente. Então o que acontece é que essa população não vai conseguir se aposentar. Vai trabalhar até o fim da vida. As regras estão colocadas para impedir o acesso ao direito de se aposentar”.

Outro ponto crítico da Reforma da Previdência é a desvinculação da aposentadoria à política de salário mínimo. A agricultora Alaíde Martins conta que, ao se aposentar, passou a ter uma vida mais digna e a fazer feira com mais tranquilidade, mas não livre de dificuldades financeiras. “A aposentadoria vinculada ao salário mínimo já dá ‘a continha’ certa para fazer a feira do mês e comprar um ou outro remédio. Mas com essa mudança, não vai dar nem para manter a alimentação e a saúde, que é o básico. Isso vai acabar com o povo”, diz. “A desvinculação pode fazer com que, daqui a 10 anos, a aposentadoria seja equivalente à metade de um salário mínimo”, completa Jaime Amorim.

Cidades do Interior

Os entrevistados também foram unânimes na avaliação de que o ataque à aposentadoria rural não atinge apenas as famílias agricultoras, mas todas as cidades do interior do Brasil. “Hoje a economia dos municípios menores, os que não têm indústria, dependem do pequeno comércio, dos mercadinhos, das bodegas. E o recurso que circula é o da previdência. É a fonte de renda dos municípios”, afirma o presidente da CUT Pernambuco. “Com essa reforma essas cidades vão quebrar. As prefeituras não têm como dinamizar a economia. As prefeituras irão falir. E a consequência é o êxodo rural seguido da favelização. Essa reforma vai inchar as cidades”, avalia Carlos Veras.

A jovem Ana Paula acredita que a reforma pode acabar com o comércio da sua cidade. “A população de Afogados depende do comércio de hortaliças e pequenos animais”. Jaime Amorim, do MST, também prevê essa situação. “Os pequenos municípios dependem economicamente desse recurso que vem da aposentadoria dos camponeses. Mensalmente os trabalhadores rurais aposentados gastam esse dinheiro no comércio das pequenas cidades”, diz Amorim. “A reforma da previdência vai reduzir drasticamente o número de pessoas que conseguem se aposentar, especialmente mulheres. Os idosos falecem, o recurso deixa de circular e não entra novo recurso, porque as pessoas não conseguem se aposentar. Isso inviabiliza a economia rural e dos municípios, atingindo milhões de pessoas que trabalharam duramente para construir esse país”, completa.

Veras acredita que a PEC 287 é um caminho para o Nordeste voltar à condição de “exportador de mão de obra barata para outras regiões”, em contraponto com a última década, quando os estados nordestinos viveram o oposto, com as famílias retornando para reconstruir suas vidas na região. “E no caso do campo corremos o risco de voltar aos tempos de medidas de emergências, saques e aumento da pobreza. Com certeza essa reforma vai colocar o Brasil de novo no Mapa da Fome. O projeto é muito prejudicial às economias locais e ainda tira as mínimas condições de vida das pessoas”, lamenta.

Resistência

Doriel de Barros avisa que a FETAPE está mobilizada para enfrentar a Reforma da Previdência. “Estamos organizando as bases para denunciar e enfrentar essa Reforma da Previdência, pois essa medida visa tirar os direitos conquistados pela classe trabalhadora. Queremos debater com a sociedade nos próximos meses”, avisa. “A expectativa de vida média dos trabalhadores rurais é de 67 anos. Se essa proposta passar, muitos trabalhadores rurais não conseguirão se aposentar”, reclama o sindicalista. Carlos Veras, da CUT, reforça o coro. “O camponês começa a trabalhar com 5 anos de idade, seja menino ou menina. Impedir que essa pessoa se aposente é uma crueldade que não pode ser aceita”. E Jaime Amorim, dirigente do MST, afirma que “mexer na Previdência é declarar guerra aos camponeses. Os trabalhadores rurais de todo o País resistirão”
Fonte: Sul21
+ Mais Informações ››››››

Delegado que ordenou prisão de jornalista é preso por ligação a quadrilha de roubo de cargas

A Operação Financiadora, deflagrada na manhã dessa terça-feira (21) pelo Ministério Público e pela Polícia Civil, prendeu o delegado Omar Abud, da 17ª Delegacia de Polícia Civil, e o Comissário de Polícia aposentado Luiz Armindo de Mello Gonçalves. Os dois são suspeitos de financiar e oferecer proteção a uma quadrilha de receptação e roubo de carga com atuação na região metropolitana. Abud é o delegado que indiciou o jornalista Matheus Chaparini, do Jornal Já, preso enquanto trabalhava na ocupação estudantil da Secretaria da Fazenda (Sefaz), em junho de 2016.

Em coletiva nessa manhã, o Sub-Procurador Institucional de Justiça, Fabiano Dallazen, informou que a operação do Ministério Público começou em novembro do ano passado e atuou em conjunto a Polícia Civil, que já investigava uma quadrilha com atuação em Alvorada, Cachoeirinha e Triunfo. O MP e a Polícia Civil chegaram à quadrilha a partir de uma investigação focada no crime de lavagem de dinheiro, que descobriu que um supermercado em Alvorada estava sendo utilizado para esse fim e era abastecido com cargas roubadas.

A operação foi deflagrada às 6h e prendeu Abud e Gonçalves em suas residências em Porto Alegre. Outras três pessoas também estão sendo investigadas pelo envolvimento com ambos. Também está sendo apurada a relação da quadrilha com uma facção criminosa.

Dallazen salientou que a investigação foi dificultada pela expertise dos policiais em esconder provas. Eles utilizariam as estruturas da Polícia Civil em benefício próprio, mas não há informações de que outros agentes teriam participação do crime. O procurador afirmou que ambos estavam “no topo da quadrilha”.

Durante a operação, foram apreendidos quatro veículos e sequestrados três imóveis que, segundo Dallazen, são indícios de “renda incompatível” com os vencimentos dos agentes. Ambos receberiam parte dos lucros da quadrilha.

Fonte: Sul 21
+ Mais Informações ››››››

Deputado Marcon participa em Santa Cruz do Sul da grande mobilização de agricultores familiares

O Deputado Marcon participa  em Santa Cruz do Sul da grande mobilização de agricultores familiares contra a Reforma da Previdência do  governo golpista de Temer que vai tirar direitos previdenciários dos trabalhadores rurais que foram conquistados com muita luta.
A sociedade precisa acordar e se dar conta do sério risco que está correndo. O movimento é promovido pela Fetag (Federação dos Trabalhadores na Agricultura do RS), com suas 23 regionais.

+ Mais Informações ››››››

Iniciada Força Tarefa de reforma na rede elétrica do Instituto Borges do Canto de Palmeira das Missões

Na ultima semana, escolas da região da 20ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), de Palmeira das Missões (CRE), receberam a visita do Engenheiro Luís Antônio Marcello Senger e do Arquiteto, Felipe Caruso Cunha da Força Tarefa da Secretaria Estadual de Educação (Seduc), para visitas em algumas escolas que receberam recursos oriundos do Banco Mundial para Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), para a realização de obras de reforma e reparos emergenciais e prioritariamente em Palmeira das Missões, no último dia 15, os técnicos visitaram o Instituto de Educação Borges do Canto para se inteirar do processo que trata da reforma da rede elétrica da instituição. Após conheceram a Escola João Goulart (Ciep), a qual foi contemplada com o valor de R$ 120 mil, para obras de reforma, sendo recebidos pela diretora da instituição de ensino Elaine De Carli.
A coordenadora interina, Ana Jossade Félix Vieira, acompanhou o trabalho dos engenheiros, sendo que na Borges do Canto, a equipe foi recebida pela diretora Mara Donatti e as vice-diretoras, Liliane Bernardes e Viviane Freiberger. A direção relatou o trabalho realizado, até o momento, na Escola e apresentou estudos como vistoria e documentação para viabilizar a reforma.
Conforme Senger, a Escola tem mais de 60 anos e não recebeu, nos últimos tempos, projeto de modernização o que evitaria a atual situação. “A Seduc está aqui, justamente para dar celeridade a essa demanda e como é urgente será atendida pela Seduc/Força Tarefa”, disse.
Após, eles conheceram a estrutura física da Escola e orientaram a direção para que proceda a um projeto elétrico novo observando a necessidade ou não de uma subestação de energia, visto que esse está mais ou menos determinada pela RGE. Os engenheiros pediram que a direção priorize um projeto completo, exequível, constando a aprovação pela concessionária e que se busque a contratação de um bom projetista na região para apresentar o preço e conseguir a verba; a partir do projeto definido será feita a licitação de execução e a liberação dos recursos. “A Escola receberá todo o apoio de verba para solucionar logo essa situação”, assinalaram os técnicos.
A direção agradeceu o esforço da coordenadora Ana Jossade, que juntamente com o secretário de projetos do Gabinete da Prefeitura, Gesiel Serra, agilizaram a ação junto à Casa Civil e Secretaria da Educação.
“Estamos felizes por essa visita da Seduc, depois de dois anos, seremos atendido e a comunidade escolar poderá trabalhar normalmente, usufruindo do ar condicionado, laboratório de informática, eletrodomésticos entre outras ações que estavam paradas pela deficiência da energia. Uma grande notícia para iniciarmos o ano letivo”, comemorou a direção.


ACS-20CRE/SEDUC
+ Mais Informações ››››››

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Rafael Rossetto dialoga sobre desafios da Educação com mais de 450 professores da região



Os mais de 450 educadores dos municípios de Liberato Salzano, Constantina, Novo Xingu, São José das Missões e Engenho Velho acompanharam, na tarde de terça-feira (14), a palestra “Desafios e Perspectivas para o Século XXI”, ministrada pelo diretor-presidente do CESURG, professor Rafael Rossetto.
O evento ocorreu dentro da preparação dos professores para o início do ano letivo, pensada a partir do tema “Resgatando o Ofício de Mestre”. A formação pedagógica foi proporcionada aos educadores das redes municipal e estadual da microrregião composta por estes cinco municípios. Após a atividade com o diretor-presidente do CESURG, os educadores participaram da explanação sobre “Educação e cooperativismo no contexto contemporâneo”, com o professor Carlos Daniel Baioto, também coordenador do Curso de Gestão de Cooperativas da instituição.
O professor tem a função e a missão de despertar sonhos no seu aluno e motivá-lo a realizar este sonho, ressalta o diretor-presidente Rafael Rossetto. “Um educador precisa entender o cenário aonde ele irá intervir com a Educação. Sem essa compreensão, a intervenção pode ser falha. Por isso, assimilar as peculiaridades das realidades trazidas pelos estudantes para sala de aula é fundamental dentro do processo educativo”, explica Rafael Rossetto.

Assessoria de Comunicação CESURG
+ Mais Informações ››››››

CESURG sedia Plenária Estadual da FETRAF-RS

O Centro de Ensino Superior Riograndense sediou em Sarandi, nas últimas semanas, a Plenária Estadual da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul (FETRAF-RS). Aproximadamente 50 líderes sindicais da área de abrangência da federação se reuniram para debater pautas relacionadas à previdência social e a PEC 287. Além disso, foram discutidas as estratégias e o planejamento para as ações desenvolvidas pela Federação.
O CESURG busca apoiar eventos que contribuam para o debate crítico de pautas da sociedade, entre elas a importância da Agricultura Familiar para a produção de alimentos e para a economia do país. “Acredito muito na força dos trabalhadores e trabalhadoras da agricultura familiar e na importância deste trabalho para a sociedade. Sempre seremos parceiros e a estrutura do CESURG segue à disposição da FETRAF para que possamos lutar juntos pelos direitos das famílias do campo e o desenvolvimento da nossa região”, destacou o diretor-presidente do CESURG, Rafael Rossetto, em seu pronunciamento durante a plenária.
A agricultura familiar é de extrema importância para a economia regional, por isso os cursos da área rural como Agronomia e Medicina Veterinária do CESURG têm seus planos pedagógicos voltados para a valorização deste setor. Além disso, o desenvolvimento regional é um dos principais alicerces das ações externas realizadas pela instituição, procurando apoiar a Educação construída pelas comunidades.



Assessoria de Comunicação CESURG
+ Mais Informações ››››››

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Últimos dias para inscrições no Vestibular Agendado do CESURG!



Os estudantes que desejam ingressar nos cursos de graduação do CESURG devem inscrever-se no Vestibular Agendado até o dia 28 de fevereiro, último dia em que pode ser realizada a prova única de redação. Nessa modalidade de ingresso, o candidato escolhe o dia em que realizará a prova. As aulas iniciam no dia 1º de março.
Em Sarandi, o Vestibular Agendado do CESURG está com inscrições abertas para os cursos de Administração, Agronomia, Medicina Veterinária, Gestão de Cooperativas e Pedagogia. Também estão com matrículas abertas os cursos técnicos em Comércio, Finanças, Informática, Recursos Humanos, Redes de Computadores, Segurança do Trabalho e Transações Imobiliárias. Quer realizar sua inscrição? Basta entrar no site www.cesurg.com.br. Mais informações podem ser obtidas através do e-mail vestibular@cesurg.com.br, do telefone (54) 98423-9928 ou ainda do Whatsapp (54) 99666-8682.

Assessoria de Comunicação CESURG
+ Mais Informações ››››››

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Captação de recursos para o 32° Carijo da Canção Gaúcha

Com a recente aprovação de projeto pela Lei Rouanet para realização do 32º Carijo da Canção Gaúcha, já estão em ritmo acelerado as visitas a empresas e instituições visando a captação dos recursos necessários à execução do festival. Neste sentido, nesta quinta-feira (16), o prefeito municipal Eduardo Russomano Freire, a secretária municipal de Educação Nirlene Boeri (também respondendo pelas secretarias de Cultura e Turismo, Esporte e Lazer), o assessor especial Gesiel Serra e o chefe de gabinete Mauro Rocha estiveram em Porto Alegre cumprindo algumas agendas.
A exemplo disso, a comitiva esteve realizando encontros para tratativas e articulações no Palácio do Governo, visitando a Casa Civil, as superintendências de marketing e diretorias do Banrisul e da Corsan, bem como o cartório Ofício de Registro de Imóveis - 5ª zona, com o objetivo de apresentar o projeto comercial desta edição do Carijo, enfatizando as novas cotas de patrocínios, bem como as contrapartidas. Foram positivos os retornos obtidos em todas as visitas, que se somam a outras já realizadas, havendo ainda uma série de lugares que serão procurados pela comissão de captação do evento.
A aprovação do projeto do 32° Carijo da Canção Gaúcha pelo Ministério da Cultura via Lei Rouanet, na área de patrimônio cultural e segmento: preservação de patrimônio imaterial foi anunciada no final do ano passado, durante o lançamento do CD e DVD da 31ª edição. Por este motivo foi possível enquadrar o projeto no artigo 18, o que permite a dedução de 100% do valor do patrocínio no Imposto de Renda das empresas patrocinadoras, facilitando a captação de apoiadores para o próximo ano.

+ Mais Informações ››››››

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Estudantes têm à disposição diversos programas de descontos e financiamento no CESURG

Programas de descontos e financiamento facilitam ingresso de estudantes no CESURG
Com o Vestibular Agendado em andamento até o dia 28 de fevereiro para os cursos de graduação em Administração, Agronomia, Medicina Veterinária, Gestão de Cooperativas e Pedagogia, o CESURG disponibiliza diversos programas de incentivo financeiro aos seus estudantes.
Para auxiliar o acadêmico CESURG, a instituição criou programas próprios de apoio. Os estudantes do CESURG em Sarandi podem solicitar financiamento do Credi CESURG, um programa que financia de 30 a 70% do valor total investido no curso. Além disso, o Convênio Empresas possibilita desconto na mensalidade de colaboradores das empresas conveniadas. O Desconto Família é outra modalidade de incentivo: familiares que estudam no CESURG ganham desconto na mensalidade do curso escolhido.
O programa Melhor Idade, lançado recentemente, é mais uma facilidade disponibilizada aos estudantes: a partir de 50 anos de idade, o acadêmico ganha o porcentual de desconto correspondente a sua idade. Por exemplo: o estudante que tem 60 anos de idade ganha 60% de desconto. Com 80 anos, são 80% de desconto. Quem possuir 100 anos estuda de graça no CESURG.

Assessoria de Comunicação CESURG
+ Mais Informações ››››››

Aulas no CESURG iniciam dia 1º de março

CESURG oferece diversas modalidades de ingresso aos estudantes
Quem deseja ingressar no ensino superior e obter conhecimento de qualidade, com uma formação profissional de excelência e atualizada em relação ao mercado de trabalho, encontra no CESURG em Sarandi diversas modalidades de ingresso para os cursos de graduação em Administração, Agronomia, Medicina Veterinária, Gestão de Cooperativas e Pedagogia.
Além do Vestibular Agendado que está com inscrições abertas até o dia 28 de fevereiro, o CESURG possibilita que pessoas já graduadas matriculem-se nos cursos através do Reingresso, sem a necessidade do processo seletivo, bastando a apresentação do diploma de graduação na Secretaria para efetivar a matrícula. Além disso, quem realizou a prova do ENEM 2016 ou anos anteriores pode matricular-se apresentando seu desempenho na prova, dispensando a realização do processo seletivo do vestibular. Acadêmicos de outras instituições também podem solicitar transferência para o CESURG, reaproveitando as disciplinas em comum já realizadas.
Mais informações sobre os programas de apoio e descontos nas mensalidades podem ser obtidas no www.cesurg.com.br, pelo e-mail vestibular@cesurg.com.br, telefone (54) 98423-9928 ou ainda pelo Whatsapp (54) 99666-8682.

Assessoria de Comunicação CESURG
+ Mais Informações ››››››

CESURG está com inscrições abertas para cursos de Graduação e Especialização

Últimos dias para inscrições no Vestibular Agendado do CESURG!

Os estudantes que desejam ingressar nos cursos de graduação do CESURG devem inscrever-se no Vestibular Agendado até 28 de fevereiro, último dia em que pode ser realizada a prova única de redação. Nessa modalidade de ingresso, o candidato escolhe o dia em que realizará a prova. As aulas iniciam em 1º de março.
Em Marau, o Vestibular Agendado do CESURG está com inscrições abertas para os cursos de Agronomia, Ciências Contábeis, Engenharia Civil, Engenharia de Produção e Engenharia Mecânica. Também estão com matrículas abertas as pós-graduações em Controladoria, Auditoria e Perícia, e em Estruturas de Aço, uma das melhores especializações nesta área em todo país.
Quer realizar sua inscrição? Basta entrar no site www.cesurg.com.br. Mais informações podem ser obtidas através do e-mail vestibular@cesurg.com.br, do telefone (54) 3342-4276 ou ainda do Whatsapp (54) 99666-8682.

Assessoria de Comunicação CESURG
+ Mais Informações ››››››

Coordenadora Ana Jossade realiza agenda na capital do Estado para agilizar reforma no Instituto Borges do Canto, de Palmeira das Missões

A Coordenadora interina da 20ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), de Palmeira das Missões, Ana Jossade Félix Vieira, iniciou na quinta-feira, 09, agenda em Porto Alegre, levando demandas da região na Casa Civil e Assembleia Legislativa, seguindo até a sexta-feira, 10, com reuniões na Secretaria Estadual da Educação (Seduc). O secretário do Gabinete de Projetos da Prefeitura do município, Gesiel Serra, acompanhou a interina nos compromissos, visto que as demandas contemplam interesse da comunidade palmeirense e regional.
Na Casa Civil com o subchefe, Ademir Baretta e com o assessor do gabinete do deputado estadual, Edson Brum, o ex-deputado Achylles Braghirolli, entre outros assuntos, foi solicitado prioridade e urgência no projeto de reforma da rede elétrica do Instituto Estadual Borges do Canto de Palmeira das Missões.
Na Secretaria da Educação a coordenadora e o secretário estiveram no Departamento de Articulação com os Municípios (DAM), onde conversaram com o diretor, Itamar Chagas, sobre o projeto piloto do Estado de Gestão do Transporte Escolar, que vem sendo implementado junto ao município de Palmeira das Missões.
Em seguida, a coordenadora esteve no Departamento de Recursos Humanos (DRH), onde foi recebida pela coordenadora, Cecília Gheller, para tratar das permutas e cedências da coordenadoria com municípios da região. Após encaminhou e verificou o andamento de processos do RH da 20ª CRE com as responsáveis, Cleusa Machado e Mara Lúcia Santos.
O secretário Serra ainda, em almoço no TCE, esteve com o Conselheiro Alexandre Postal e com seu Chefe de gabinete e Fernando Postal, hoje diretor do Banrisul, para ajustes e articulações do interesse do município. Decreto de Escrituras e Assentamentos e oficialização de recursos para a UTI do Hospital de caridade na ordem de R$ 650 mil.
Dando continuidade aos compromissos, Ana Jossade e Serra estiveram com o diretor adjunto do Departamento Administrativo da Seduc, Carlos Selistre, para tratar, especificamente, dos trâmites legais do projeto para início da obra de reforma no Borges do Canto. Após, o Secretário da Educação, Luís Alcoba, recebeu em seu gabinete, a coordenadora, o secretário e o diretor para reforçar o apoio da secretaria e agilizar a solicitação da comunidade escolar. Recursos na ordem de R$ 500 mil poderão ser liberados para a implementação da obra de reforma emergencial na rede elétrica da Escola Borges do Canto.
“Foi uma agenda positiva e de importantes articulações em favor da Educação Regional e do município de Palmeira das Missões”, destacou Ana Jossade.



Jô do Carmo-ACS/20CRE
+ Mais Informações ››››››

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Polícia suspeita que ultrapassagem causou acidente com 5 mortes no RS

Uma ultrapassagem perigosa pode ter sido a causa de um acidente envolvendo sete veículos que deixou cinco vítimas na manhã deste sábado (11) na BR-116 no trecho de Pelotas, no Sul do Rio Grande do Sul, de acordo com as primeiras informações obtidas pela investigação da Polícia Civil. O delegado Robertho Peternelli, responsável pelo caso, suspeita uma das vítimas teria provocado as colisões.

"Vamos apurar a responsabilidade. Provavelmente, ao que tudo indica, o motorista que seria o responsável acabou falecendo também no local", disse o delegado.
O acidente ocorreu na altura do km 495 da rodovia, onde a ultrapassagem é permitida. Quatro pessoas morreram no local, e a quinta vítima chegou a ser hospitalizada, mas não resistiu.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), um Pointer com placas de Porto Alegre seguia no sentido capital-interior quando tentou ultrapassar uma fila de quatro caminhões. Porém, não conseguiu desviar e colidiu de frente com uma carreta que vinha no sentido contrário. Após o choque, os veículos bateram em outros caminhões que trafegavam na rodovia.

Morreram na hora o motorista da carreta e um bebê de 9 meses, que também estava no veículo. Outras duas vítimas, um homem e uma mulher, estavam no Pointer.
Ficaram feridas uma mulher e uma menina de 8 anos, que estavam na carreta, e uma terceira ocupante do Pointer. Eles foram removidos para o Hospital de Pronto-Socorro (HPS) de Pelotas, mas a passageira do Pointer morreu ao chegar ao hospital. As identidades não foram reveladas.

Ainda conforme a PRF, dois caminhões transportavam óleo diesel, mas não houve vazamento. O trânsito foi desviado por uma pista ao lado, parte da duplicação da BR-116, que está com as obras suspensas. O trânsito foi normalizado

Apesar de reconhecer que a manobra do motorista do carro tenha sido determinante para o acidente, o chefe de policiamento da PRF em Pelotas, Fabiano Goia, destaca também as más condições da BR-116. "Temos aí a irresponsabilidade, a avaliação de imprudência, imperícia, negligência dos condutores que também são responsáveis pela condição dos veículos, mas também temos a questão da engenharia, que também poderia contribuir para que essa tragédia fosse evitada", diz.

Fonte: G1 RS.
+ Mais Informações ››››››